Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A Melhor Amiga da Barbie

11
Dez18

Dos Dias.

Ana Gomes

 

07120BB1-7546-4727-950F-A49298E2E592.jpeg

 

 

O Inverno consegue ser mesmo muito complicado para as crianças. 

Nas últimas semanas a Vi tem andado sempre febril e em baixo. Não me lembro ao certo se o ano passado foi por esta altura ... mas lembro-me de ter sofrido bastante com ela em casa. Apesar de ser horrível para mim vê -la murcha e sem conseguir fazer grande coisa por ela... confesso que já lido muito melhor com a frustração de ter de cancelar toda uma agenda. Não ficou mais simples... não é bem isso. Mas acho que é mais fácil quando aceitamos as coisas. Claro que me custa não ter a pouca autonomia que me restava. 

Durante o fim de semana falei com a Tâmara para me dar uma dica para ajudar a Vi e ela deu-me uma receita boa de chá de tomilho e a sugestão de fazer nebulizador com uma gota de óleo essencial para melhorar a respiração. Hoje achei que ela já estava melhor - e foi inclusive para o infantário... - passou pouco tempo até me ligarem, como estava na minha sessão semanal de acupuntura e como o Dr. Artur Morais já conhece a Vi perguntou-me se me sentiria melhor se ele a visse - já que hoje é a folga do nosso pediatra - lá fui com ela. 

O Dr. foi incansável como sempre, extremamente paciente e querido não só na parte de observação como na sessão de acupuntura que fizemos com ela ( a laser ... ) nos pontos que não foi possível estimular por impaciência dela, o Dr. Artur esperou que ela adormecesse para seguir com o tratamento. Claro que este tipo de cuidado e paciência aquecem o coração de qualquer mãe. O diagnóstico é uma Faringite Viral mas amanhã iremos ao Pediatra para que possa ficar a par de toda a situação.

Estou desde Sexta com ela alapada ao colo, com o meu trabalho TODO em stand-by e só penso nos cuidadores que têm empregos diferentes, não que no meu caso o incumprimento seja menos grave, mas pelo menos não tenho um horário ou uma cadeira num escritório para ocupar... imagino que para esses pais ou cuidadores seja horrível ter de explicar que mais uma vez não podem ir trabalhar.

Enfim! Coisas boas? Amanhã dou a minha primeira aula de yoga para crianças e não podia estar mais feliz e ... nervosa! 

03
Abr18

Dos Dias - e do programa Pretty Fit!

Ana Gomes

Há dias em que temo que sinta que me esqueci que tenho um blog. 

Afinal de contas há quem me ( nos ) leia só por aqui. 

 

B83678CD-D27C-4812-81EA-FCFCC5A668F2.jpeg

 

0B5E2997-4CE7-4E3C-A45E-99598D2CD234.jpeg

 

1B70B6B4-CEE8-453C-AC7B-FCD627A1E973.jpeg

 

 

Mas não me esqueci. Aliás... há dias em que vou dormir quase com aquele sentimento de culpa de quem se esqueceu de como tudo começou. A verdade é que é tudo mais prático e rápido no instagram e ... o facebook está a ser "comido" pelos algoritmos e as publicações não chegam a ninguém. Falando nisso se me seguem em qualquer uma das outras redes sociais e se quiserem continuar a ver os meus conteúdos então sugiro que seleccionem a opção de "activar notificações". 

 

Acreditam que tenho inclusive textos escritos que não partilhei? *vergonha* 

 

Basicamente os meus dias não têm sido muito interessantes. Estou sem ninguém a ajudar em casa e desde que decidi abraçar um desafio de health coach - ou se quisermos ver as coisas de forma bonita - desde que decidi abraçar-me, tenho passado muito tempo na cozinha, nas compras... ou a tratar das coisas banais da casa. Trabalhar em casa resulta sempre no acumular de várias tarefas e produtos o que requer manutenção diária. Depois há a minha bebé que se vai entretendo a brincar sozinha mas continua com a sua fixação com o teclado do meu computador o que faça com que não possa - de todo - pegar no computador quando estou com ela... sob pena de ficar sem ecrã ou mesmo sem teclas. 

 

Eu ainda não consigo avaliar os resultados físicos do meu compromisso... mas apesar de me sentir cansada pelas rotinas normais do dia-a-dia e das noites mal dormidas... sinto-me com uma energia fabulosa! Sabem aquela imagem muito "fora" de uma aura brilhante? É assim que me sinto quando acabo de treinar ou de fazer uma refeição que confeccionei do principio ao fim com os melhores ingredientes. 

 

Como expliquei no primeiro post sobre este "programa" que estou a fazer com a Mafalda Antunes - Pretty Fit - a ideia era rentabilizar a minha vontade natural de comer bem e treinar sempre que possível. A verdade é que aprendi mais um bocadinho sobre alimentação e um bocadão sobre treino! Passo menos tempo no ginásio e apesar de não treinar sempre com a Mafalda... se tenho duvidas vamos falando por whatsapp e tenho um plano de treino para seguir. É engraçado porque raramente passava pelas máquinas e agora até as uso a saber o que estou a fazer! Mais... este fim-de-semana levantei-me cedo para treinar em casa dos meus pais antes da azafáma normal das reuniões familiares. Hoje - por exemplo - éramos para ter ido treinar bem cedo mas chovia muito... levantei-me cedo, fui passear o Vulcão, voltei para casa.. preparei café, o meu pequeno almoço, arrumei o frigorífico e fiz um plano de compras. Depois a Vitória acordou e despachei-a para ir para a escola e sentámo-nos as duas no sofá cada uma com o seu pequeno almoço. É óbvio que o meu dia começou com uma energia completamente diferente! Depois disso fui treinar claro... que treinar de manhã e meio caminho andado para garantir que cumpri com os meus objectivos. 

05
Mar18

Dos Dias.

Ana Gomes

1DE00E4A-C3D6-4976-9D21-84CE4DE44879.jpeg

 

Esta semana prometia ser só coisas boas. Estava nitidamente com aquela sensação de que as coisas estavam finalmente a encarrilar e ... a Vitória ficou doente. Ups... Pois... 

Quinta-Feira quando a fui buscar à escola estava super chocha. No dia a seguir tinha um trabalho importante - onde tirei esta shameless selfie... uma pessoa tem de aproveitar cabelo e maquilhagem de profissionais... right ? - e liguei à minha mãe para vir de propósito para Lisboa para ficar a segurar as pontas. O apoio familiar é mesmo fulcral para se conseguir fazer alguma coisa na vida quando se tem um bebé doente. 

Passei o fim de semana em casa - no Sábado demos um Brunch delicioso que irei partilhei aqui - para os nossos amigos e no Domingo com o temporal que esteve recebemos outra parte da família aqui em casa para um almoço. Resultado? Zero trabalho. O que - convenhamos também é importante... afinal de contas é fim-de-semana e até para quem é freelancer convém que existam momentos de descanso, certo? Certo... mas só na teoria. Hoje a Vitória acordou e ainda não estava a 100%... como estava uma tempestade danada achei que o ideal seria não leva-la à escola. Resultado? São 6 da tarde e estou a escrever este post no telemóvel enquanto me debato com a sua mãozinha que quer a todo o custo mexer no ecrã e que só se acalma no meu colo. Estes dias fazem parte da vida de mãe mas eu não sei lidar com eles. Lamento. 

O pior? Fico mesmo com problemas de consciência porque reparem... estava mesmo feliz com esta nova semana porque amanhã vou viajar. É só um dia, mas sinto que é um regresso importante de convites viagens e trabalhos/lançamentos fora do país que unem as minhas duas grandes paixões : beleza e viagens. É óbvio que vou. Afinal não sou a única pessoa no mundo capaz de tomar conta dela e preciso mesmo de voltar à minha vida. A Vitória vai fazer 10 meses e parece que continuamos num arranque coxo que não me faz conseguir sentir-me bem nem pessoal nem profissionalmente. 

 

Ninguém disse que ia ser fácil. Mas caramba... 

 

14
Fev18

Dias Cheios - e aquele cansaço do dever cumprido.

Ana Gomes

 

B29F4841-F821-492B-9C5C-CF21840086C9.jpeg

 

 

Já vos escrevo do conforto da minha manta - e ainda tenho a Vi a tentar usurpar o meu computador - mas finalmente o dia está a acalmar. 

Depois de uns dias fora de Lisboa - para tentar descansar minimamente e dormir um bocadinho mais descansada - regressei a Lisboa e aos mil projectos. Hoje o dia parecia impossível de cumprir mas tudo se fez e adoro esta sensação de cansaço e dever cumprido ao mesmo tempo. 

Não houve tempo para grandes celebrações de Dia dos Namorados. Houve uma reunião, pediatra com a Vi, um almoço em cima do computador para resolver alguns assuntos pendentes - ainda há uma longa lista a percorrer - e depois segui para a Conforama. 

Quem segue os stories já sabe que fui desafiada pela marca a decorar um quarto - é um projecto com cariz solidário e irei partilhar tudo ao detalhe assim que a campanha for lançada. Depois atravessar a cidade, tirar a baby da escola, voltar para a Amadora e mais uma jornada de 2ªCircular. 

Cheguei a tempo de lhe preparar o jantar e encomendar Home Sweet Sushi para nós. Banhos, rotinas, emails, arrumar as compras da semana ( encomendei pela primeira vez no Waltz e fiquei muito satisfeita com a compra ) e agora tentar descansar que amanhã bem cedo vou até ao Porto para uma visita relâmpago. O objectivo da viagem é a dar continuidade ao projecto #TempoParaViver que podem rever neste post.

 

Já tinha revelado aqui que um dos meus projectos pessoais para 2018 passava por me envolver o mais possível com Associações e Causas Sociais. É claro que o faço muitas vezes - e o mais possível - anonimamente. Mas sempre que uma marca quer alavancar estes processos e entende que a minha imagem ou a minha associação pode dar ainda mais força à campanha não tenho porque dizer que não! :) E nesse aspecto o ano está a correr bastante bem!

 

 

 

 

07
Fev18

Dos Dias.

Ana Gomes

78AEF9BB-973A-4398-BF93-BEDBD2BE7146.jpeg

Cachecol - Primark

Camisola Bege - Zara ( 2016 )

Calções Zara ( destes saldos )

Botas - Bimba Y Lola

 

Como corre essa semana? 

Por aqui está a ser particularmente entusiasmante! Nada como bons projectos, ideias novas e uma agenda que se começa a compor. Com a Vi de volta à escolinha - e cheia de saúde - já me começo a conseguir organizar com alguns compromissos e a recuperar algum ritmo de trabalho! Na verdade tenho dedicado muito pouco tempo ao meu computador e quase não tenho parado em casa. Porquê? 

Bom... primeiro porque há uma nova colecção da Picolé Limão a entrar no forno ( finalmente ) e hoje lançámos uma peça feita em colaboração com a nossa querida Joana da HEAD-JI! Podem ver aqui.. a modelo é linda, não acham? 

Depois porque finalmente me voltei a dedicar a alguns guilty pleasures da vida, cinema, séries e escrever sobre restaurantes - na segunda-feira almocei no saborosissimo Pasta Non Basta e vou dedicar um post a esse almoço - é merecido! Aliás... esta foto foi tirada depois de um repasto de hoooooras e num dia gelado - característica comum aos últimos dias. Parece que esta noite vai piorar - nãããããooooooo. 

E por - quase - último a novidade "familiar" que é a inauguração de serviços de almoços e tapas no bar A Tabacaria - que fica ali na Rua de São Paulo - o bar é do meu primo e quem está na cozinha é a minha Tia que cozinha divinamente. As minhas Tias e a minha Mãe têm uma forma de expressar amor nos pratos. Não sei explicar ao certo mas são pessoas que têm mesmo gosto naquilo que fazem e invariavelmente transmitem esse prazer e essa dedicação para os pratos. Vivi uma temporada com a minha tia e tive a sorte de provar diariamente aquilo que vão poder provar de Terça a Sábado a partir das 12.30. E sim amigos vegetarianos... há opções para nós! Provem o húmus... a sério! 

Para já não há grandes novidades - continuo empenhada numa limpeza do armário e firme em achar que quanto menos peças tiver mais simples tudo será. Limpeza, manutenção, espaço mental para ser criativa nas composições, eventualmente até mais dinheiro na carteira! Tenho doado várias coisas e sinto-me mesmo mais leve. 

Por falar em leve... tenho conseguido ir ao Holmes Place pelo menos uma vez por semana e isso faz maravilhas pelo meu estado de espírito. 

 

<3

 

28
Jan18

Dos Dias.

Ana Gomes

7ABB81E8-F894-463E-BF42-964198768BA0.jpeg

( Foto : Pau Storch - tirada na pausa de um trabalho -extra blog- giro que fiz esta semana. )

 

Domingo, seis da tarde, já estou embrulhada numa manta, de pijama e com velas acessas. 

Sem planos de fazer jantar ou de organizar grandes coisas. 

A minha missão deste final de domingo é recuperar alguma força de vontade para continuar a escrever, estudar coisas de que gosto e conseguir trabalhar. Há uns anos despedi-me do meu emprego seguro porque este - o blog e derivados - eram o trabalho que queria ter como prioridade. Desde esse dia podem ter existido dias de preguiça - como será natural - mas nunca me faltou a vontade. 

Os últimos tempos - que já nem consigo balizar - têm sido menos fáceis. O Inverno é muito duro para os bebés e a Vi tem estado constantemente doente... claro que não consegue dormri com tosse e... claro que lá estou do lado dela para a tentar acalmar. Depois há os dias em que não pode ir à escola e cá estou... e por aí fora. Entretanto tornou-se numa bebé que - talvez por estar constantemente desconfortável - necessita de mais atenção e fica dificil fazer o que quer que seja quando estou sozinha com ela. O ciclo de cansaço ficou tão estranho que mesmo quando posso dormir... não adormeço. 

Esta semana tentei voltar a treinar e entretanto a menina voltou a ficar pior e passei o resto da semana com ela casa ( ou a ter de levá-la para os trabalhos possíveis ). Treinos? Nem vê-los. Imaginei que me pudesse sentir mais bem disposta e estável se conseguisse treinar mas ainda não foi desta que fiquei a perceber. 

O que não esperava que me acontecesse foi perder totalmente a vontade de mexer no computador, escrever ou tudo o que possa com isso estar relacionado. O que é um pouco grave já que isso é o meu trabalho. Não me sinto propriamente deprimida ou sequer muito triste. Acho que estou num periodo de adaptação - que está a demorar mais do que gostaria. Por outro lado até gosto de não estar sempre ligada. 

Esta semana vou ter de entrar nos eixos - dê por onde der. 

Entretanto... não desistam de mim. eheheh

 

<3 

16
Jan18

Fim-De-Semana do Bom! Netflix, Livros, Amigos e Teatro! <3

Ana Gomes

A41F27FC-CF41-4625-B7E3-5795CAB2BC1A.jpeg

 

Este fim-de-semana que passou foi tão bom que nem consegui vir ao computador! 

 

Estivemos "vai não vai" para meter umas camisolas na mala e ir até ao Bombarral.. mas como eu já tinha bilhetes para o teatro no Domingo acabámos por ficar por Lisboa. A Vi esteve doente... eu fechada com ela em casa e já em modo desespero!! Sexta à noite acabámos por ficar na ronha no sofá - Netflix é a melhor invenção de sempre - e a Vi deu uma noite péssima ( coitadinha ) e adormeceu das 9 da manhã até quase às 13! Resultado: acabei por aproveitar o descanso dela para dormir também e ficar a pijamar até essa hora e sem planos... já que ela continuava doente e sair de casa não estava nas minhas opções. 

 

Até que... uma amiga me mandou mensagem a pedir uma referência para ir almoçar com o marido e com a sua baby... e eu sugeri que viessem petiscar qualquer coisa cá a casa em modo "estou de pijama... façam o favor de não reparar nisso". Vieram e um almoço transformou-se numa ceia... com direito a vitória do Benfica, sushi, petiscos, brincadeiras das bebés... e ainda consegui sair um bocadinho de casa - para ir ao supermercado é certo... mas isso para mim já é um programão! Quando todos se foram embora ainda me deitei um bocadinho no sofá a ler ( estou a ler o último livro do Ricardo Araújo Pereira que comprei para me oferecer no Natal... e o que me tenho divertido! ). 

 

Domingo foi mais um dia de preguiça, livro, chá, netflix, muita manta e sofá e a meio da tarde fui ao teatro ver o espectáculo Actores ao São Luiz. Tinha tantaaaaas saudades de ir ao teatro! Foi tão bom ver uma sala cheia numa matiné de domingo... recebi várias mensagens a pedir a opinião sobre a peça. Bom : Vão com tempo! O espectáculo é bastante longo - 2h40 se não estou em erro. Mas só vos vai parecer enorme se não se deixarem absorver. A mim disse-me bastante... talvez não saibam que estudei na Escola Superior de Teatro e Cinema e que conheço bem a realidade por trás do mundo do espectáculo. Já venerava o Miguel Guilherme, adoro o Bruno Nogueira e o Nuno Lopes e não conhecia as duas actrizes : Rita Cabaço e Carolina Amaral ( que foi substituir a actriz Luísa Cruz ). Caramba... a Rita foi uma óptima surpresa... faz um papelão incrível e parece-me uma lufada de ar fresco na representação em Portugal. O espectáculo passa um bocadinho pela revisitação de trabalhos e situações que estes actores viveram no seu percurso profissional e pela relação "encenador/publico/actor). Gostei muito e soube-me mesmo muito bem conseguir ir ao Teatro ao fim de tanto tempo. 

Fui buscar a Vi que ficou com as minhas tias e passei no Mercado da Ribeira para ir matar saudades da Salada Quente de Batata Doce d' A Cozinha da Felicidade e foi a maior desilusão : ovo escalfado frio, alface quase toda estragada... foi a única parte chata do fim-de-semana! O resto... foi só espectacular! 

 

 

 

27
Nov17

A culpa é minha... e da Picolé!

Ana Gomes

Captura de ecrã 2017-11-27, às 21.07.06.pngCaptura de ecrã 2017-11-27, às 21.06.18.png

 

Captura de ecrã 2017-11-27, às 21.06.35.png

 

 

 

 

O desabafo só chega por aqui porque... sinto mesmo o dever de me justificar! :) 

 

Quando decidi avançar com a Picolé Limão não imaginei que me pudesse "consumir" tanto tempo. Mas a realidade é que dividir as tarefas do dia-a-dia, as exigências da maternidade, alguns compromissos profissionais e gerir as coisas que estão relacionadas com a marca... me deixam muito pouco tempo livre para o resto. 

O resto é ... escrever por aqui ou até estar sentada no sofá a pensar em nada! Tenho deixado muitaaaaaa coisa por fazer, não tem sobrado tempo nenhum para mim... mas no final aquilo que posso pensar é que eu sou todas estas coisas. Por isso tudo se acabará por ajustar. 

 

Estes ultimos dias ( semanas? já nem sei... perdi literalmente a noção do tempo ) foram particularmente complicados: eu e a Silvia estivemos empenhadas no Winter Market que aconteceu em Marvila com a curadaria da Maria Guedes ( Stylista ) . 

 

Todo o processo é duro e trabalhoso mas só aqui entre nós eu ADORO estar em mercados. Adoro conhecer pessoas, as cumplicidades que se criam, o espirito de entre-ajuda, as experiências que se partilham. Para além disso ter o feedback do nosso consumidor final é muito importante ( e enriquecedor ). 

 

Confesso-me particularmente orgulhosa do cenário da nossa banquinha e contente pela exposição positiva que a Picolé Limão teve. 

 

Ao mesmo tempo estes mercados têm servido para que possa dar ainda mais valor ao trabalho de todas estas pessoas que - tal como nós - dedicam uma grande parte da sua vida aos seus projectos. E o que é impressionante é que a grande maioria ( se não quase todos ) estes projectos são liderados por mulheres! Mulheres que se desdobram em mil papeis e funções e ainda assim arranjam tempo para que a vida não pare. 

 

 

18
Out17

Ouvir o nosso corpo e aprender a gerir os erros.

Ana Gomes

0b8d2e293c56dad65fce6b37f1736911.jpg

 

 

Domingo passado tomei uma decisão. E decidi partilha-la aqui porque falar destas coisas "em voz alta" faz com que o compromisso seja ligeiramente maior. 

Mas para começo de conversa devo dizer que a palavra compromisso é demasiado forte e não tem sentido na minha forma de encarar as coisas. 

Passo a explicar: não como carne há muitos anos. Mais de metade da minha vida foi vivida sem comer carne e por vontade própria teria sido sempre assim. Nunca tentei impor a minha visão a ninguém, nunca fui chata, moralista, nunca tentei mover multidões. ZERO. E será sempre essa a minha postura. Quando deixei de comer carne não era tão informada como sou agora... e admito que de uma forma completamente inconsciente tomei uma decisão que considero positiva para a minha vida. 

Geralmente não como muito peixe. Mas acaba por ser uma alternativa e nas ultimas semanas andava a comer bastante sushi. Ora... a estrela principal do Sushi é o Salmão e não é preciso muito para saber que 99% é de viveiro e que nos faz mais mal que bem. E a verdade é que me comecei a sentir "intoxicada". Não era vómitos, nem dores de barriga... nada disso. Sentia/me lenta, muito cheia e desconfortável. E pensei : o corpo sabe... e esta a dar-te um sinal meiguinho. 

E foi ai que tomei a decisão de deixar de comprar peixe para ter em casa e de comer apenas em situações excepcionais. 

 

E tenho a certeza que vai correr bem :) Sem fundamentalismos, com consciência e com muito sabor! Não vou ser vegan... nem vou deixar de comer peixe ( apesar de estar certa de que esse seria o melhor caminho ) mas farei daquilo que estava a ser regra ... a excepcao . 

 

Se sentem que gostavam de mudar alguma coisa na vossa vida... comecem por tentar. Sem assumir um compromisso, sem ver as coisas como uma obrigação. E não assumam que cada falha é motivo para desistir. Nada disso. Todos os momentos em que seguirmos as nossas decisões, são momentos positivos para nos. 

 

E não é que hoje descompliquei com um sushi vegetariano ( tinha um almoço de aniversario num sushi ) e correu muito bem! <3

26
Set17

Como se pratica o desapego?

Ana Gomes

7a6df99608139448ed2e5dd655765ee1.jpg

 

 

 

Finalmente cheguei à cama. 

Acabei de tomar um duche, de improvisar uma rotina de beleza rápida e eficaz. Acabei de preparar um chá, cortar um quadrado generoso de chocolate preto e de ligar o computador. 

Ainda tenho um longooooo caminho pela frente que envolve caixas de mudanças e arrumações. Não sei - mesmo - como consegui acumular tanta coisa nos últimos 12 anos. Mais ainda se pensar que vivi em 45m2. 

E se acrescentar a esta equação a quantidade de coisas que dei e deitei fora... parece-me impossível que ainda tenha tanta coisa por fazer. 

Nos últimos tempos tenho ido um pouco mais longe na minha ideia de desapego ( mas continuo muito apegada... não vale a pena cantar já vitória ). Ainda assim a quantidade de bilhetes de avião que deitei fora... a quantidade de guias de cidades, de posters de concertos, de livretes de espectáculos... até postais e cartas foram para o lixo. Tenho mesmo pena: porque adoro encontrar coisas antigas. Mas por outro lado: para quê. Acreditem que durante muito tempo coleccionei imensas coisas. Não é que goste de viver no passado, não é que fique nostálgica quando olho para elas... só me apetecia não ter de me livrar delas. Mas bom: lá foram. E como tenho uma péssima memória para datas o mais certo é esquecer muitos desses momentos. Mas convenhamos: há tantos outros para viver... e não é que alguém algum dia vá escrever um livro sobre as minhas viagens ou as coisas que vivi. Depois confesso que no momento em que deito algumas coisas fora me sinto desconfortável mas a leveza que fica depois é impagável. E é claro que se não fosse a minha mãe acho que trancava a divisão onde têm estado as caixas e nuuuuuunca mais a abria. ahahah

 

Também acumulam muitas coisas? Ou são super desapegados? Ajudem-me! 

PUB

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Playlist Spotify

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2010
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D