Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A Melhor Amiga da Barbie

28
Ago18

Um dos posts mais pedidos : Alimentação da Vitória.

Ana Gomes

 

 

 

F5D5A863-034F-4594-8E93-05312DE0EB98.jpeg

 

 

Uma das coisas que mais me pedem que partilhe está relacionado com a alimentação da Vitória. Por um lado fico verdadeiramente feliz com a curiosidade... e sei - porque me fazem questão de dizer - que pessoas que nos são próximas passam a reflectir um pouco mais sobre a alimentação dos seus filhos. 

 

Mas antes de tentar responder às vossas questões tenho de começar por falar das coisas com toda a sinceridade do mundo : quem faz diferente não faz - necessariamente - errado. Cada pessoa tem a sua forma de estar na vida e isso aplica-se a milhentas coisas... alimentação incluída!  Por isso isto nunca seria um conteúdo a julgar quem pensa diferente de mim é apenas.. um desabafo! Sabem que há momentos que acho que sofro de uma espécie de bullying alimentar. Como assim?! Simples... muitas vezes ouço "coitadinha da menina", "não devias escolher por ela", "ai não acredito que não come isto e aquilo".

 

Quando soube que ia ter um bebé - e isto para responder a uma das vossas principais perguntas, que é : como é que se faz uma alimentação diferente do resto da família? - decidi que no meu entender o meu bebé não iria comer e iria evitar ao máximos os produtos processados e com açucares adicionados. Claro que na altura falei com o Pai da Vitória e ele tinha passado por uma fase em que viu imensos documentários sobre alimentação e concordou em absoluto comigo. A nota é a seguinte: ele come tudoooo e tem uma alimentação totalmente diferente da minha ( eu diria até oposta ), só que estamos a criar outra pessoa e o nosso plano é sempre fazer o melhor possível com a informação que temos. De certa forma a bola ficou do meu lado e decidimos em conjunto. Logisticamente pode ser complicado, já que nem todos os membros da família comem a mesma coisa, mas hey... não tem de ser um bicho de sete cabeças. 

 

A meu ver uma alimentação rica em alimentos sem rótulos, com execuções simples e integrais será a mais benéfica para uma criança. A Vitória experimenta muitas texturas, come leguminosas, couscous, massa, arroz, quinoa, legumes, peixe ( ocasionalmente ), ovo, aveia, tofu... não lhe faltam opções ou o que comer, certo? Claro que come bolachas - como todas as crianças - mas ou as faço eu, ou compro bolachas sem açúcar ou "es". Há várias... basta perdermos algum tempo a ler rótulos e o truque é simples : se te ingredientes com nomes esquisitos.... não compramos. Fácil de entender a estratégia, certo?! Tentamos que consuma o máximo de alimentos biológicos ( as coisas que compro para ela são sempre bio ) mas sou descontraída neste sentido : se não há... come o que há! :) 

Em primeira análise ofereço-lhe sempre aquilo que quero que ela coma... por exemplo, fruta. Acontece ela não querer, mas vou experimentando... para que se habitue ao sabor e à textura. Todos concordamos que uma banana e uma melancia são frutas muito diferentes, certo? É preciso também ter paciência... Acho o mesmo dos legumes... e muitas vezes se não os querem comer inteiros, podemos transformá-los em puré. É muito fácil desistir de uma alimentação saudável... há muitos alimentos processados carregados de sabores que nos viciam. Muitas vezes perguntam-me se a Vitória gosta das bolachas sem açúcar, como se fossem o alimento mais aborrecido do mundo... duas coisas sobre este assunto : as bolachas são docinhas, são adoçadas com puré de fruta e... são as que ela conhece! O palato dela ainda não está viciado por outros sabores. 

 

Eu não podia estar mais segura da escolha alimentar que fiz. Li muitos artigos, falei com outros pais, falei inclusive com o pediatra que se mostrou descomplicado e disposto a ouvir-nos e nunca colocou objecções às nossa escolhas. E claro que tendo tudo isto em conta - e explorando muito este universo e colocando as coisas numa balança entre o beneficio e a "privação" - custa ouvir "coitadinha da menina" como se a minha escolha enquanto mãe fosse um castigo para a minha filha. 

 

Nestas férias fui de certa forma "posta á prova". Não foi intencionalmente - como é lógico - mas também me ajudou a reflectir sobre a melhor forma de continuar a levar o barco. Estávamos em grupo, com outras duas famílias, outras crianças e fazíamos as refeições sempre todos juntos. Com os miúdos à mesa tornava-se por vezes cansativo gerir birras do "não podes comer, não é para ti, isto é dos crescidos" não estou a falar apenas da Vitória. Estou a falar sim de uma forma geral sobre o que os adultos comem e as crianças não devem comer. E sim... a mãe sou eu e ela é a criança e esse papel deve sempre ficar bem claro. Mas para além disso : está aqui a melhor porta para nos educarmos a nós próprios a nível alimentar. Se uma criança não devia comer ( porque são batatas fritas de pacote, croissants, amendoins com sal e açúcar... bla bla bla ) então talvez até para nós isso seja pouco interessante. Eu sei que por esta altura aumentei a fasquia do desafio, mas acho que estamos a precisar urgentemente de uma revolução alimentar. 

 

Eu sou mais daquela equipa do "nem sempre nem nunca". Claro que se há-de lambuzar com uma bolacha, claro que irá comer em alguma situação algo que em primeira análise não seria a minha escolha. Mas será a excepção e não a regra! 

 

Há muitos momentos em que sinto que tem sempre de existir uma opinião sobre a forma como educamos os nossos filhos. E isso causa desconforto e uma pressão social que - a meu ver - são desnecessárias. No meu caso o "ponto fraco" é a comida... tenho a certeza que todas as mães são questionadas ou criticadas por alguma coisa que fazem. 

 

 

 

 

 

 

 

 

09
Jul18

Lista de Alimentos Para Levar Nas Férias!

Ana Gomes

 

 

fbc6cca53309e78528dacc94e7488784.jpg

 

 

Tenho um grave defeito no que às malas de viagem diz respeito! 

Tenho sempre a sensação que levo a casa TODA às costas. A verdade é que me considero minimamente prevenida e tenho um certo nivel de "forretice" ( não sei se lhe podemos chamar assim... ) mas não gosto MESMO de gastar dinheiro em vão se tenho as coisas em casa. Vai daí levo roupa para o calor e qualquer coisinha mais de vier uma aragem. Levo a roupa do ginásio ( não me vá dar para fazer desporto e depois ter uma desculpa ) e claro está... levo mais do que uma opção, é que se vou treinar é bom que seja para suar e nesse caso... não vou repetir a farda, certo? Confesso que melhorei bastante com a "experiência" e tendo a ser mais exagerada para pequenas estadias do que propriamente para longas jornadas! Afinal de contas já estive um mês na Ásia e outra quinzena na India só com uma mochila ( de campismo... gigante... mas ainda assim! ) . 

 

Bom... mas não é sobre isso que vos vou falar hoje! Há pequenas coisas que me acompanham sempre e cada vez mais procuro levar algumas coisas sempre comigo. Principalmente se for para sitios com cozinha ou kitchenette ( o que dá um jeitão quando temos um bebé ). 

 

Geralmente levo sempre fruta comigo, não levo um carregamento, a ideia é não levar nada perecivel. Como sou LOUCA por supermercados começo sempre as férias com uma visitinha ao mais próximo do sitio onde fico.... mas geralmente levo sempre bananas e umas maçãs comigo. Dão para a viagem - como snack - e acabo sempre por comer essas peças de fruta em qualquer situação. 

 

Erva Trigo - compro a minha na ISWARI e é o meu shot matinal diário. Como adoro esta rotina é óbvio que não a dispenso nas férias. Levo um potezinho de vidro bem pequeno cheio deste pó mágico. ( podem fazer compras no site da ISWARI com o promocode ISBARBIE ). 

 

Super Green Protein - nem sempre levo, mas tenho recorrido a esta mistura proteica vegan ( logo muito confortável para a digestão... há quem se dê mesmo mal com as whey protein sem saber ao certo porquê.. mas regra geral é pelo leite ). É preciso ser honesto e explicar que não tem o melhor sabor do mundo - longeeeee disso - mas fica muito bem disfarçada quando é batida com leite - vegetal, óbvio - e uma banana bem madura! Podem também optar por água de côco. E quando uso? Ora... quando quero um extra de proteína depois de um treino, quando quero um pequeno almoço rápido e equilibrado ou até como lanche! 

 

Falando disto... a água de côco é quase uma poção mágica que podem e devem ter convosco - eu tenho sempre em casa no frigorifico - para além de ser muito saborosa é maravilhosa para se manterem hidratados e é muito rica em potássio. Tem inumeros beneficios e costumo usar até quando estou mal disposta! :) 

 

Sementes de Linhaça - O ideal será transformá-las em farinha em casa e colocar num pote de vidro que deverá ficar no frio. A farinha de linhaça é um óptimo aliado e para quem ( como eu ) aprecia o sabor pode usá-la para enriquecer nutricionalmente vários pratos. Ovos mexidos uma peça de fruta e uma colher de sopa de farinha de linhaça por cima garantem mais fibra no prato e muito mais saciedade! :) 

 

Sementes de Cânhamo - são capazes de transformar uma sopa simples de legumes numa refeição completa! Porquê? Porque são riquissimas em protéina e têm um sabor agradável! :) É um truque para aqueles dias em que não temos muito apetite ( apesar disto nunca acontecer comigo ) e uma forma de garantir um melhor valor nutricional no prato! :) Mas como é óbvio tem inumeras utilizações para além desta. 

 

Sementes - adoro as de abóbora e as de girassol! São bons snacks e podem ser acrescentados e sopas e saladas. Porquê? Mais nutrientes já sabemos :) 

 

Couscous - prefiro quinoa, mas a quinoa deve ser cozinhada ao lume, o que é super viável caso tenham um fogão e é uma maravilhosa base carregadinha de proteína. A razão pela qual coloquei o couscous é simples : basta adicionar o dobro de àgua a ferver e cobrir a taça e minutos depois está pronto a comer! :) 

 

Frutos Secos - Caramba... isto para mim é um vicio. E se for feitos nas porporções certas é um bom vicio! A gordura dos frutos secos é uma boa gordura e por isso pode e deve ser consumida até para melhorar a absorção de outros nutrientes! Para além disso já sabemos que são um maravilhoso snack que pode ser comido em qualquer altura. Adoro comer cenoura crua com sementes de abóbora e amêndoas. Se juntar a isto uma água de côco bem gelada tenho o meu lanche da praia feito ( e sim... não gosto MESMO de bola de berlim ).

 

Manteiga de Amêndoa - ADORO. Sou viciada e não faço a minha própria em casa ( sorry ). É muito fácil, já que basta colocar o fruto seco no processador e esperar que se transforme no melhor creme do mundo... mas opto por comprar já feita ( preço qualidade escolho sempre esta da prozis ). Uso-a para quase tudo! Para espalhar nas tortilhas de arroz ( que by the way... também fazem parte da lista ), também gosto de colocar manteiga de amêndoa na fruta! E... até a como á colherada. Bom... usei o singular, entenderam? Uma colher de café e fico a sonhar com a próxima.. não dá para comer colheradas e colheradas. Já sabem que podem comprar em todo o site da prozis com o meu promo code BARBIEPROZIS e não se deixem cair em faltas de informação :) A Manteiga de Amêndoa que vos mostro tem apenas e só amêndoa não está... "carregada de conservantes". 

 

Chocolate Preto - com no minimo 70% de cacau. Levo sempre comigo ou o da ISWARI ou o da KAOKA que compro no celeiro . E vocês podem dizer, mas... quase todas as marcas têm chocolate preto. É um facto! Mas já repararam que o primeiro ingrediente é geralmente o açucar? Pois é... não há mal nisso se para vocês isso for uma não questão! :) Mas eu prefiro outras alternativas... e sim... gosto de comer um chocolatinho ;) 

 

Aveia - para papas e batidos! :) fácil de cozinhar e com mil utilizações possíveis é uma opção muito válida de mercearia a ser transportada! 

 

Xarope de Tâmaras - ou o próprio fruto! Mas este já é mais provável que encontrem na maioria das superficies comerciais e evitam ir carregados. Se tenho um desvario por doces acabo por recorrer a este adoçante natural que é apenas e só fruta - ainda que processado - e junto ao leite vegetal ou a algum bolo ( se houver condições para o fazer ). 

 

Óleo de Côco - é multi-funções! Já se sabe que o podemos utilizar para cozinhar, para "turbinar" o café e até mesmo para hidratar o corpo, o cabelo... enfim! É outra poção mágica que podemos utilizar com inumeras finalidades! A marca origens tem óleo de côco com vários outros ingredientes e vale a pena ler um bocadinho sobre o que podemos fazer com cada um deles :)

 

Fruta Desidratada - compro a da FRUBIS e apesar da Vitória amaaaaar a maçã e a pêra eu sou loucaaaa pelas chips de côco. A par dos frutos secos andam sempre na minha carteira quer esteja ou não de viagem! 

 

Leite Vegetal - Levo sempre um pacotinho comigo. Regra geral já os conseguimos encontrar em todo o lado mas atenção... há rotulos péssimos! Não sendo essencial por vezes mais vale não consumir :) 

 

 

Bom, há com toda a certeza um vasto leque de outras coisas que poderiam levar convosco. E acredito que este post venha a ser editado mas... decidi focar-me naquelas coisas que não se estragariam numa viagem de carro e que poderiam ser menos óbvias de encontrar num supermercado. :) 

 

Boas Férias! :) 

5d3ef88d5f93c540002afc98870e5a9f.jpg

 

 

 

 

 

 

20
Mar18

Uma Health Coach? Sim! Uma SUPER Health Coach.

Ana Gomes

94896B40-55E4-4391-9F1F-20CCA2FC9EA7.jpeg

 

E51FA3E5-FF96-4DE6-ADDD-BA221D089948.jpeg

 

 

 

Sabem quando as pessoas se cruzam convosco no momento certo da vida? 

É isso que acho que me anda a acontecer! 

 

Mas para tornar uma longaaaaaaa história numa história relativamente curta... apresento-vos a Mafalda Antunes que é nada mais nada menos que a minha ( não em exclusivo... ela tem mais horas na agenda ahaha  ) health coach. A Mafalda é muito mais do que isso - mas nada melhor do que seguir as suas redes sociais para perceber isso - mas é dessa vertente que vos venho falar. 

 

Assim logo de arranque posso-vos dizer que está a ter um papel muito importante na minha vida. Basicamente fez-me pensar e focar em alguns objectivos e em como pretendo guiar parte dos meus dias. Se eu já tenho uma predisposição para comer bem e fazer exercício físico... porque não optimizar esses resultados com a ajuda de alguém que realmente sabe daquilo que fala? É esse o papel da Mafalda nestas próximas 6 semanas - num projecto que quero acreditar que vai durar muito tempo na minha vida. 

 

Durante 6 semanas há um plano de refeições, treinos personalizados, acompanhamento online constante e momentos de avalição. Isto parece simples mas ... ainda agora começou e já mudou algumas coisas na minha vida. 

Coisas tão simples como o tempo que passo a cozinhar - sim isso aumentou - mas aumentou proporcionalmente o prazer com que o faço : a certeza que estou a fazer as escolhas certas, pensadas e adaptadas a um objectivo. 

 

Tudo começou com uma primeira avalição - que fizemos por Facetime - e que é logo a melhor forma de combater o obstáculo "falta de tempo". Antes disso tínhamos trocado mensagens e um email com um questionário, a consulta teve por base esse questionário e outros aspectos importantes da minha vida. Seguiram-se 3 dias divertidos em que partilhei - por mensagem - TUDO o que comia, treinava e sentia! E aqui começou a parte engraçada... é que partilhei mesmo tudo e isso fez-me pensar que em certos momentos talvez estivesse a comer desnecessariamente ou por impulso! 

 

No momento presente tenho uma lista de compras, um plano de refeições para uma semana ( com receitas e várias indicações ) e um numero de telefone ao qual recorro sempre que tenho alguma dúvida ou preciso de fazer alguma troca por falta de organização. Calma... eu não ligo à Mafalda! Fazemos tudo por mensagem ;) 

 

Começámos agora com o planeamento dos treinos e apesar de ter alguma vontade de nunca mais a voltar a ver - eu nunca disse que ADORAVA treinar - fico com a certeza de que todo o tempo que passar no ginásio - ou em casa - será rentabilizado de uma forma muito mais eficaz. Sinto que tenho um método que me faz treinar de forma eficaz, segura e autónoma, adaptado à realidade do meu dia a dia e objectivos que tenho para mim. Mesmo quando não estou com a Mafalda. Lá está... optimizar a minha predisposição e a gestão do meu tempo. Escrevo isto com as pernas bambas e acreditem que sei que o treino de hoje foi bastante simples... mas lá está... foi efectivo! E quem treina ou já treinou com PT sabe reconhecer as devidas diferenças. 

 

Para primeiros dias de plano alimentar só vos posso dizer que não foi SUPER fácil, mas tudo era saboroso e saciante. A maior dificuldade está em libertar-me das pequenas coisas que comia sem pensar, tipo... galetes de arroz ou de milho, frutos secos, bocadinhos de granola, refeições pobres em proteína e por aí fora. E lá está... não são necessariamente coisas péssimas... mas fora de contexto ou em excesso também não são perfeitas para quem - como eu - procura recuperar tonicidade e firmeza.  Nada melhor do que vos dar outro exemplo prático, certo? Por exemplo... quando não tenho muita fome opto por comer uma sopa à noite, tudo certo... não há nada de errado nisso. A menos que... o objectivo seja ganhar firmeza e massa muscular... e nesse aspecto será impensável deitar-me sem ter um bom aporte proteico. A sopa? Claro que sim! Mas com um ovo ou com proteína de cânhamo - por exemplo! Entendem? São coisas tão simples... mas que não faz parte do nosso dia-a-dia ter de pensar sobre elas. Ajuda ( e muito ) que tenhamos algumas ideologias alimentares e de estilo de vida completamente alinhadas! :) 

 

Não vos vou mentir... é um investimento: tanto no programa em si, como no supermercado, já que a ideia é que - idealmente -  possamos preparar as nossas refeições. Mas nada temam! Se forem almoçar ou jantar fora a Mafalda dá uma ajuda... ajuda-nos a ler rapidamente os menus ou a sermos precisos na nossa escolha.  A verdade é que não sinto, em momento algum, que seja um desperdício. É todo um processo de educação - ou reeducação - e que efectivamente tem outro tipo de resultados se tivermos um profissional ao nosso lado, formado, informado e disponível para nos ajudar nas melhores escolhas. 

 

Estou a adorar ter a Mafalda a acompanhar-me e tenho a certeza que no final das 6 semanas isto vai valer muito a pena. Porque... ainda não passou sequer 1 semana e já trago essa sensação comigo! 

 

Para uma nota final gostava de sublinhar um detalhe - que acho que faz toda a diferença - a Mafalda é Personal Trainer mas não é isso que estamos a fazer juntas. Essa é apenas uma parte do plano... mas as áreas de actuação são transversais como acredito que tenham compreendido pelo texto. 

 

Já sabem! No Instastories podem ir acompanhando algumas ideias de refeições, momentos de treino ( para ajudar a dar aquela motivação extra para ir treinar ) e outras dicas! Vou partilhando algumas coisas mais elaboradas por aqui... e já tenho receitas de SONHO que partilharei se assim quiserem! :) 

 

Façam alguma coisa por vocês mesmos! Mexam-se, pensem positivo, adorem-se... a saúde física e a saúde mental complementam-se! <3 

 

Contactos Pretty Fit by Mafalda Antunes: 

 

Facebook

Instagram

Site 

 

07
Mar18

Os Pequenos Demónios da Alimentação.

Ana Gomes

 

 

D1928728-92F2-461B-8596-B3289BEA28D3.jpeg

 

 

 

Penso sempre um bocado antes de me aventurar a escrever sobre alguns temas. 

Este é um desses casos. Mas depois de ter “aberto” a caixa de pandora nos stories do Instagram comecei a sentir que… talvez até fizesse sentido escrever sobre isto. 

 

Estou-me a referir a alimentação e mais concretamente à alimentação da Vitória. Acho que todos somos obrigados a reconhecer que atravessamos uma fase relativamente complexa no que à produção alimentar diz respeito. O mesmo alimento hoje é substancialmente diferente do que há uns 50 anos atrás. Não só porque a ciência evoluiu e passou a ter uma acção directa sobre a industria mas também porque o clima e o ambiente se têm vindo a alterar significativamente. Não vale a pena falar de “lobbys” e industrias que se financiam numa realidade paralela porque isso seria entrar em terrenos pantanosos e nem vale a pena ir por aí. 

 

Aquilo que há uns anos atrás era considerado normal e fruto da revolução industrial… veio-se a revelar o principal combustível de muitas doenças degenerativas que começam a ser demasiado comuns na nossa sociedade. Ainda assim parece que queremos ignorar ou que alguém quer que isso não seja assim tão evidente no nosso dia-a-dia. Já se tentou explicar que o açúcar não é dos melhores alimentos do mundo - ainda que seja dos mais saborosos… é um facto - e que os E's são potencialmente cancerígenos. Mesmo assim as bolachas maria continuam a ser recomendadas por nutricionistas e a ser oferecidas diariamente nos hospitais. 

 

Vamos por partes : caramba… eu ADORO o sabor das malditas bolachas… mas se já sei que não são uma boa opção… porque é que não há um controlo e um alerta maior? Estou a dar - e espero que compreendam - um exemplo bastante pequeno mas que acredito que possa ser representativo já que está na base de alguma das minhas chatices. Posso dar mais exemplos: é muito diferente comer um pão de ló caseiro, cozinhado com alimentos simples e minimamente puros… do que comer um pão de ló com validade de meses e cheio de conservantes e intensificadores de sabores. E sim… é muito diferente comer um pão que tem como ingredientes água, farinha, fermento e sal de um outro pão que se faz valer de uma extensa lista de componentes. Podemos pensar o mesmo quando comparamos uma sandes com doce de fruta sem açucares adicionados e um croiassant com nutella. Todos compreendemos a diferença? E sim.. eu sei que pensaram o mesmo que eu... o croiassant é muito mais saboroso ahaah. Estou a tentar dar exemplos básicos e do dia-a-dia. Eu não critico ( que me venha aqui dizer quem é que me ouviu falar mal ou dizer que alguém não devia comer uma ou outra coisa ) a alimentação que os meus amigos fazem ou escolhem para os filhos. Mas é raro o dia em que as escolhas que eu faço não são alvo de piada fácil ou são retratadas como algo que é um castigo para a minha filha. 

 

“Os meus filhos sempre comeram de tudo e cresceram saudáveis.” Ora… que boa noticia! A sério… sem ironias. Mas se eu tenho hipótese de escolher, se eu me tento informar, se faço escolhas em consciência porque é que eu sou a complicada e as outras pessoas as certas? Não me acho dona da razão e adoro uma pizza daquelas mesmo mazinhas. Mas isso é a excepção da minha alimentação. Quando a como sabe-me pela vida e como-a sem culpas. Nada me garante que não vá ter uma dorzita de estômago ou um inchaço extra mas… eu sei o que estou a fazer e sim… o que estou a fazer é errado. 

Numa altura em que não somos privados de espaços comerciais com produtos frescos, em que há várias empresas que fazem inclusive entregas à porta de nossa casa, comer alimentos altamente processados e com mais ingredientes modificados do que naturais é uma escolha nossa e não a "alternativa possível". 

 

Acho - muito honestamente - que preferimos não saber. Preferimos não saber como são produzidos os alimentos que nos chegam ao prato, como são criados os animais que comemos ou quantos pacotes de açúcar estão naquele chá gelado… que afinal é chá e não deve fazer assim tão mal. Como os cereais que se têm bonequinhos nos pacotes devem ser espectaculares para os miúdos ou as papas que se dão há anos e pertencem a empresas mais do que credibilizadas. É mais fácil não querer saber, não pensar… acredito mesmo que até quem poderia ter um papel mais pro-activo na educação dos pais não perde tempo com isso. E sim… estou a falar de médicos e de empresas que organizam os menus das escolas dos miúdos. E sim… também estou a generalizar porque enfim… estando a ser conscientemente injusta estou já a deixar a ressalva de que devem existir pessoas e entidades diferentes mas não são - infelizmente - aquelas com que convivo. 

 

Não se enganem. Eu não acho que sei tudo ou que sei muito sobre alimentação. Eu sei mesmo muito pouco. Vou tentando saber e vou tentando aprender e empiricamente consigo perceber que alimentos mais simples e sem rótulos serão melhores para nós que nascemos também sem rótulos e sem conservantes e espessantes e estabilizadores artificiais. A Vitória com pouco menos de 10 meses também já conhece o prazer de comer uma bolachinha. Mas enfim… uma bolachinha que sendo saborosa é menos … artificial? 

 

Eu volto a dizer : isto não é uma critica aos outros pais. É só um "parem de me chatear se ninguém vos chateia e há informação para quem a procura." Tudo aquilo que disse não resulta de anos de estudo da minha parte. Nada disso... está escarrapachado em todo o lado. Escolhemos dar ou não dar. Acreditar ou não acreditar. E não qualquer problema da minha parte para quem dá. NADA mesmo. 

 

Sei que vai ser uma batalha dura. Sei que vou continuar a ser gozada, ridicularizada, sei que haverá um momento em que a minha filha irá ter de lidar com isso. Irá ter de ouvir “ ah… mas tu não podes porque a tua mãe não quer” … “ah… pois… a tua mãe não deixa”. 

 

Espero que não se zangue comigo. Como eu nunca me zanguei com os meus pais por me mandarem cenouras cruas para o lanche em vez de pão  de brioche com tulicreme. E sei… que tal como eles vou dar à Vitória a oportunidade de provar tudo o que quiser. Mas será sempre a grande excepção e nunca a regra. 

 

Cada um faz o melhor que sabe. não é verdade ? E eu acredito naquilo que estou a fazer para a MINHA filha. E é nela... e só nela que penso. Não percam tempo a pensar tanto nela e naquilo que ela come... ou no caso... no que não come. 

 

 

( tenho que deixar uma nota para as educadoras da minha filha que são óptimas no que à alimentação da Vi diz respeito e com quem estou à vontade para brincar sobre o assunto. Apesar da escola da Vitória exigir uma declaração médica para todas as excepções á regra... quando a declaração aparece é tudo cumprido na integra! E não estamos a falar de um colégio privado ou algo do género. Claro que o pediatra da minha filha disse aquilo que me apetece responder sempre que me pedem a declaração... " Mas a mãe não é responsável pela sua filha? As escolas têm de acatar as escolhas dos pais que não prejudicam as crianças". ) 

08
Fev18

Rubrica RFM - TOP 5 - Mitos Alimentares.

Ana Gomes

No Top 5 desta semana vamos falar um bocadinho sobre alguns "mitos" alimentares. Ou seja: verdades em que vamos acreditando e que se vão tornando quase óbvias mesmo que muitas vezes não sejam propriamente verdade. 

Ora vejamos : 

 

 

a57b6cf1ee22a3f70cf2040d05effa36.jpg

 

 

 5 - Sumos de Fruta são a bebida mais saudável. 

Em ultima análise a melhor bebida do mundo será a agua e é inequívoco que sumos de fruta são melhor opção que qualquer refrigerante. Mas convém saber que também têm bastante açúcar - açucares naturalmente presentes na fruta - e que promovem menos saciedade do que se comermos a mesma quantidade de peças de fruta por "inteiro". 

 

34794c5c71ce4fb13eab99d20a1379f1.jpg

 

4 - O Leite é a Maior Fonte de Cálcio.

Os estímulos visuais que temos levam-nos a acreditar que o leite tem bastante cálcio e é muito importante para manter ossos saudáveis. É verdade que o leite pode ser considerado mas os vegetais têm quantidades bastante superiores de cálcio e este é muito melhor absorvido pelo organismo do que no primeiro exemplo. 

shutterstock_151598030-e1450321219621.jpg

 

3 - A Margarina É Mais Saudável do que a Manteiga. 

 

As correntes alimentares dedicadas ao paleolítico acabaram por ajudar a esclarecer este mito já que até muito recentemente as margarinas eram consideradas gorduras mais "aceitáveis". O mito cai por terra quando entendemos que este alimento é hidrogenado e mais processado o que acaba por ser maléfico para o organismo. 

1516346456_pao.jpg

 

2 - O Pão Tostado Engorda Menos Que o Pão "Normal". 

 

Como se costuma dizer... não é o pão que engorda... somos nós! Mas ... tontices à parte a mesma quantidade de pão tostado ( por exemplo 100g ) tem mais aporte calórico do que o dito pão "normal" visto que a concentração de água é menor no primeiro. Mas aqui estamos apenas a considerar quantidades e peso. Em teoria comer uma fatia de pão normal ou a mesma fatia de pão torrado terá o mesmo aporte calórico. 

 

calorias.001.jpeg

 

1 - Todas as Calorias são iguais. 

 

Grande parte dos planos alimentares limita-se a contar calorias... mas isso não deveria ser uma ciência exacta já que os nutrientes e a diversidade alimentar são os principais factores que devemos ter em conta para uma vida saudável. É natural que num processo de perda de peso o aporte calórico possa - e deva - ser controlado mas 100 Kcal de verduras não promovem a mesma saciedade ou valor nutricional que 100 Kcal de gomas. 

14
Nov17

Porque é que comemos com culpa?!

Ana Gomes

 

amazing-beautiful-bff-boy-Favim.com-3275594.jpg

 

 

 

Hoje ao responder a uma espécie de entrevista ( na verdade para mim foi uma conversa super fixe ) sobre alimentação, dei por mim a pensar que uma das melhores decisões que tinha tomado foi deixar de comer com culpa.

 

Para uma percentagem - muito feliz, diga-se - esta ideia de comer e culpa na mesma frase não tem qualquer sentido. E... é isso que está certo. 

 

Durante anos, provavelmente quase toda a minha vida, comi com culpa. Comia alguma coisa e ficava a remoer, a pensar nisso, a pensar que não devia, que estava errado, que não era a opção certa. E comia as coisas "más" a prestações... sendo que depois - como qualquer pessoa que se comporta assim - ou não tinha nada dessas coisas em casa... ou não descansava enquanto não terminasse o "taparuwer". Resultado : no final a comida não me sabia bem, ficava com uma neura péssima e parecia que o meu corpo se ressentia. Creio que existe efectivamente um estudo que diz que o stress provocado por esse sentimento acaba por agravar os processos inflamatórios e interferir com o cortisol. 

 

Quando engravidei - e não sendo imune à toxoplasmose - tive de trocar uma série de refeições. Os meus sumos verdes passaram a ser sandes de queijo - algo impensável até então - e adivinhem? Não explodi, não fiquei com borbulhas, não caiu um muro.... tudo continuou na mesma. Como não tinha alternativa deixei de me sentir culpada... e não me sentia mal. Verdade é que engordei pouquíssimo na gravidez ( também nunca me deu para devorar caixas de gelados ou pipocas com batatas fritas ), mas foram muitas as vezes que troquei uma mega salada por um prato com massa a acompanhar as proteínas e... o mundo não desabou. 

 

Claro que tenho cuidado com a minha alimentação. Mas mudar o chip foi fundamental para que as coisas começassem a fluir. Sem dietas ou sem restrições de maior recuperei o peso que tinha antes da gravidez. E mesmo sabendo que são necessárias adaptações ou privações num regime de emagrecimento ( com o qual ainda não me comprometi ) também sei que naquele dia em que decidimos comer batatas fritas... mais vale que as possamos comer com prazer e sem culpas. 

28
Set17

Rubrica RFM - Top 5 - Dicas para Combater a Queda de Cabelo.

Ana Gomes

 

 

 

a7918212b657dab8c772009017d727bb.jpg

 

No Outono as folhas caem das árvores. E há muitas pessoas que se queixam de queda acentuada de cabelo. Afinal de contas o ciclo parece igual para todos e de facto esta é uma altura do ano em que é natural que isso aconteça. Não é de estranhar por isso que comecemos a ver uma forte campanha de lançamentos de produtos por esta altura. 

 

Mas... existem algumas dicas que podemos adoptar e poderão - efectivamente - fazer a diferença : 

 

5 - Evitar o uso excessivo de modeladores e secadores de cabelo : 

 

Ocasionalmente ou com as devidas precauções o impacto destas acções mecânicas sobre o cabelo pode não ter  muita influência. Mas numa prespectiva continuada ou exagerada podem não só potenciar a queda como agredir o cabelo.

 

4 - Perceber junto de um profissional - cabeleireiro ou dermatologista - quais os melhores produtos :

 

Existem vários tratamentos intensivos no mercado, mas pode ser o caso de nem ser necessário. Escolher um champô ou uma linha de tratamento adequada ao vosso couro cabeludo poderá ser o suficiente! 

 

3 - Hidratar bem o cabelo antes de o pentear : 

Seja imediamentamente depois do banho - ainda com ele molhado - ou depois já com ele seco. É muito importante que o cabelo esteja hidratado para que este processo aconteça de uma forma facilitada e que não estejamos a massacrar o cabelo, utilizando a força para o desembaraçar, resultado : cabelos partidos. 

 

2 - Controlar os niveis de stress: 

 

Parece um pedido impossível? Mas devia estar no nr1 deste TOP! Façam-no pela vossa saúde no geral - obviamente... mas saibam que isso também influencia o vosso cabelo e neste caso a queda do mesmo! 

 

1 - Alterar os hábitos alimentares : 

Especialmente nos periodos criticos... Sabiam que o baixo consumo de proteínas, vitaminas e minerais pode levar à perda do brilho, à quebra, queda e até interferir no crescimento do cabelo? 

Salmão, nozes, batata doce, cenoura, espinafres, manga e ovos são bons exemplos de alimentos que podemos incluir numa dieta saudável que potencia o crescimento e a saúde capilar. 

 

9d64c0ecf4ddf26afee669995f32ff4e.jpg

 

 

 

 

27
Set17

A primeira sopa. :)

Ana Gomes

AF4C4B46-374C-417D-8027-DC23083D0553.jpeg

 

As crianças crescem a uma velocidade assustadora! 

De repente... a minha bebé começou a comer. O pediatra sugeriu sopa e fruta apenas ao almoço e até aos 6 meses e eu fiquei satisfeita com a ideia. Na minha cabeça também preferia que começasse pela sopa não fosse depois habituar-se ao docinho da Papa e não querer outra coisa. 

 

Estava um pouco nervosa com esta nova etapa e preferi adiar uns dias já que fui um fim-de-semana para fora. Mas mal voltei passei no Celeiro para comprar os legumes biológicos e lá me dediquei a esta nova etapa - que a meu ver também começa nas compras - decidi usar para a primeira sopa a seguinte combinação : 

Batata Doce, Abóbora Hokkaido, Cebola e Cenoura. Descasquei os legumes, coloquei água : já se sabe... sem sal e com azeite apenas depois de cozinhado e deixei a Cuisine Companion fazer o resto enquanto lhe dava banho. É uma ajuda preciosa já que me permite cumprir aquele papel de mãe : o multitasking! Não há sopa queimada, não há várias coisas para lavar, fica tudo prontinho no mesmo recipiente : cozinhado e passado. 

 

Estava com muito receio desta nova fase e como em tudo com esta bebé deliciosa correu às mil maravilhas. Adora a sopinha :) Mas também... modéstia à parte... estava mesmo boa! <3 

01767B7E-ABD7-473D-AAD0-1F96DDF3B5E6.jpeg

 

28
Mar17

A Alimentação e a Maternidade - 2 - Dra. Iara Rodrigues

Ana Gomes

cauliflower-crust-pizza.jpg

 

 

 

A minha segunda consulta com a Dra. Iara Rodrigues correu mesmo muito bem. 

Como vos expliquei neste post senti muita empatia e senti-me mesmo compreendida na primeira consulta e creio que isso foi meio caminho andado para o "sucesso" deste processo. Depois há outra coisa que acho fundamental , falamos a mesma linguagem alimentar, não há criticas pelo facto de não comer carne : há alternativas. 

 

Ate à consulta estava a correr tudo lindamente com a gravidez e com o ganho de peso : no total - e em 29 semanas - tinha ganho apenas 3 kg e aumentado uns cms na zona abdominal e inclusive reduzido na zona da anca. Para além disso a retenção de líquidos - que vive em mim.. - estava equilibrada : ou seja, para quem tem um historial como o meu estava tudo sob controle : nada de tornozelos inchados, ou edemas mais chatos. 

 

Digo "até à consulta" porque tenho perfeita noção que o paradigma mudará significativamente agora que estou deitada mais de 23h por dia! Mas tudo se resolverá :) 

 

Vamos ao que interessa. Com o avançar da gravidez comecei a sentir mais fome, tinha inclusivamente de me levantar depois de jantar para comer mais qualquer coisinha. Tenho dito, por brincadeira, que achava que sabia o que era ter fome ( ou apetite, como quiserem ), mas que na realidade só descobri o que isso era com a gravidez. Então a pessoa acaba de comer e nem meia hora depois sente todo um vazio? E nem é um vazio existencial... é mesmo um vazio no estômago! A solução foi fácil de encontrar, fazer mais um lanche e fazê-lo com alimentos mais substanciais! Comer - por exemplo - uma tosta de salmão, ou uma tosta de atum! Dessa forma iria com menos fome para o jantar e comendo a mesma dose de sempre... tinha menos fome depois! 

E funcionou! 

 

O melhor de tudo é que saí da consulta munida de receitas! Almôndegas de Tofu, pizza saudável, oopsies, brownies de batata doce, chips de couve, imensos smoothies e sumos verdes e o banana bread - que fez imenso sucesso por aqui.  Tenho imensas receitas para testar o que fazem com que a alimentação não tenha de ser nada aborrecida! 

 

É claro que desde que estou deitada e em repouso que alterei um pouco os hábitos alimentares. Estranhamente tenho muito mais fome - talvez por andar menos ocupada - mas tento fazer refeições muito pensadas e com boas doses de proteína para não ficar - ainda mais - molinha :) 

 

Hoje fiz as seguintes refeições : 

 

Pequeno-Almoço : 

 

Banana Bread - 2 fatias

Taça de "café" solúvel com leite de aveia ( batido até fazer espuma )

 

Almoço :

 

Arroz integral, lentilhas, abacate, couve e cenoura salteadas. Temperado com molho de soja e sementes tostadas

 

1 laranja pequena e 3 nozes

 

Lanche : 

 

Batido de Manga com Leite de Arroz Linhaça e Sementes de Cânhamo ( inteiras para mastigar )

4 Galetes de Milho 

 

Ainda não sei ao certo o que vou jantar mas será certamente uma sopa e eventualmente alguma proteína :) 

Tenho bebido sempre uma infusão de Camomila, Funcho e Valeriana para dormir melhor e fazer bem a digestão.

 

Atenção! Se estivesse com a minha vida "normal" e super activa faria outra refeição a meio da manhã e pelo menos 3 lanches :) Como estou deitada tenho-me tentado controlar!  

 

Ah! E caso tenham ficado a babar para a pizza e até tenha sido a imagem que vos trouxe até aqui... deixo-vos uma adaptação da Receita de Pizza Saudável de Couve-Flor da Dra. Iara : 

 

Ingredientes : 

1 Couve Flor

1 Dente de Alho 

1 Colher de Sopa de queijo parmesão light ou 2 colheres de sopa de Aveia em Farinha

1 ovo inteiro batido

1/2 Chávena de Chá de Mozzarela Light

3 Colheres de Sopa de Molho de Tomate ( de preferência Bio ) 

Sal, Oregão e Mangericão a gosto

Na adaptação junto alguns extras como : Beringela Laminada e Cebola Roxa Fatiada Grosseiramente 

 

Como fazer :

Pré-aquecer o forno a 180º

Triturar a Couve-Flor num processador e transferir para um pano para retirar o excesso de àgua. 

De seguida colocar uma taça e juntar o alho, sal, oregãos, queijo parmesão e o ovo batido e misturar muito bem - esta será a massa de pizza. 

Colocar a massa numa forma de pizza e levar ao forno por 20 minutos. 

Retirar do forno e colocar o molho de tomate, a mozzarella e caso queiram colocar alguns extras este é o momento! Levar de novo ao forno para gratinar o queijo e cozinhar os restantes ingredientes. 

 

Retirar do forno, colocar o mangericão e servir imediatamente! :) 

 

 

 

Para informações sobre consultas podem enviar e-mail para info@iararodrigues.com, caso queiram marcar basta ligarem para o 21 011 6410 ou 93 474 8192 

 

Facebook Dra. Iara Rodrigues. 

 

 

20
Fev17

O primeiro conflito.

Ana Gomes

e8c5cc67df3c9d22ae5a576a04b68c1a.jpg

 

 

Hoje de manhã fui tentar encontrar a creche/berçário que fica perto da nova casa.

 

O meu sonho é que a Vitória ande numa escola com pedagogia Waldorf mas em nada me chocava que frequentasse uma escola "normal" nos primeiros tempo de vida. 

 

É óbvio que o preço das mensalidade é algo a ter em conta... mas para mim a proximidade da comunidade e poder brincar e crescer com os meninos que vivem perto também pesava na balança. 

 

Posto isto hoje de manhã, depois de ter ido à obra, decidi ir à escola. E tive o meu primeiro grande conflito... de onde saí triste, sem ter sequer tentado argumentar e com receio de represálias. 

 

Enquanto esperava olhei para o menu da semana. E quando fui recebida perguntei se seria possível levar as refeições da menina para a escola. Responderam-me : Não... come o que há para comer. 

Insisti : Mas se eu optar por uma alimentação alternativa? Posso trazer a comidinha dela? Se não quiser que ela coma carne por exemplo. 

Resposta : Não. As crianças comem todas o mesmo. E precisam de proteína. 

Eu disse : Precisamente, precisam de proteína... eu só não queria que ela comesse carne. 

Levei com um olhar fulminante, um atestado de estupidez e a nota de que o problema das crianças eram este tipo de pais. 

 

Vim embora mesmo triste. Eu não acho errado que as crianças comam carne. Eu não disse isso em momento algum. Eu preferia que a minha filha bebesse leitinho vegetal, comesse cereais sem açúcar e pudesse ter uma alimentação preparada por mim - e sim, sem carne - mas que pudesse brincar com os outros meninos e fazer parte do mesmo sistema. 

Eu sempre soube que a alimentação poderia ser uma filosofia de vida mas... nunca pensei que pudesse ser tão "exclusiva" no real sentido da exclusão. 

 

Eu nunca me senti diferente por ter uma alimentação diferente. 

Também sei que daqui até que a menina coma falta quase 1 ano... mas fiquei verdadeiramente desolada com a posição de quem está do lado da escola. Eu não exigi que preparassem nada. Pedi se podia levar as refeições quando fosse caso disso. 

Sou uma mal formada. 

 

E assim vai o mundo. 

PUB

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Playlist Spotify

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2010
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D