Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A Melhor Amiga da Barbie

Pessoas Estranhas - Um espectáculo sobre todos nós.

16.06.16 | Ana Gomes

Já dei mil voltas à cabeça para decidir como começar este texto. 

Decidi que vou contar a história como a senti : 

 

Há uns anos estava com o coração completamente destruído. Não foi a ultima vez que me magoaram à séria, mas sei que senti que tudo me doía, que o mundo era injusto e que tinha nascido efectivamente para ser uma injustiçada. Lembro-me de ter todos os sentimentos à flor da pele. Hoje não me lembro minimamente do que aconteceu e pior : de com quem aconteceu. Soa mal? Soa... mas é a prova viva de que sobrevivemos e até esquecemos grande parte das coisas que parecem irrecuperáveis. 

 

Adiante : Tinha um compromisso. Poucos saberão que escrevia sobre teatro para o suplemento de cultura da revista Sábado. E sim... sou muito responsável. Tinha um espectáculo para ir ver, um texto para entregar no dia seguinte e zero hipótese de fuga : tinha de ir ao teatro. 

 

Fui sozinha. Teria com toda a certeza alguma amiga que me pudesse fazer companhia, mas optei por passear a minha dor Chiado abaixo e Avenida acima. Passei - julgo que três horas - a chorar. Mas a chorar a rir! Fui ver um espectáculo da Marta Gautier - sobre o qual pouco ou nada sabia e foi absolutamente libertador. 

 

Lembro-me perfeitamente do caminho para casa. De estar frio. De ter subido o Chiado com a alma a doer mas com uma sensação de que havia espaço para sentimentos bons. 

 

O Teatro tem vários poderes e este é sem duvida um deles. Esse poder de despertar sentimentos, de nos contagiar. 

 

Lembro-me de ter escrito bem sobre o espectáculo. Lembro-me de o recomendar. E lembro-me de não o ter ido ver segunda vez porque estava constantemente esgotado. 

 

Há umas semanas recebi um press release que anunciava um novo espectáculo da Marta ( falo como se a conhecesse mas nunca privámos ). E fui. 

Pessoas Estranhas - é como se chama - e mais uma vez foi libertador. São conteúdos diferentes : apesar de ambos se focarem em experiências próximas, serem trabalhados da mesma forma : descontracção, sem recurso a cenários, a Marta nunca assume o papel de actriz mas sempre o de contadora de histórias. Quase como se estivéssemos numa palestra. 

 

Acho os espectáculos dela importantes e altamente recomendáveis porque ela é uma mulher inteligente, com um conhecimento profundo sobre psicologia e uma abordagem muito "leve" e descomplexada sobre a vida. 

A Marta faz-nos sentir que não ser a mulher perfeita do anuncio é que é normal. E isso, nos dias que correm, é muito. 

 

Senti um semi-angustia quando soube que a série GIRLS ia terminar. Mal a Lena Dunham sabe como me ajudou a ganhar o mínimo de confiança. Ver num ecrã alguém a ser "normal" e isso ser explorado na ficção com toda a naturalidade do mundo fez-me sentir bem. Bem com o que via no ecrã, bem com a minha vida, bem com as minhas expectativas e com os meus erros. 

 

Com os espectáculos da Marta acontece o mesmo. Rimos de nós, aprendemos connosco, aprendemos com ela. E no final da noite ainda vamos a pensar para casa. 

 

Obrigada Marta. 

Marta-Gautier-Pessoas-Estranhas.jpg

 

O espectáculo está em cena no Teatro Villaret e os bilhetes custam 10€. Espero que aconteçam mais sessões. Para já tudo o que encontrei está neste link. 

2 comentários

Comentar post