Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A Melhor Amiga da Barbie

Granola Caseira - com mel e muito Amor.

02.09.14 | Ana Gomes

 

 

 

Quando era pequenita ADORAVA fazer bolos.

Mas de tal forma que não vos consigo explicar o quanto aquilo era mágico para mim. Foi tão assim que passou a existir uma relação emocional muito forte com a cozinha. 

 

De longe ia vendo a minha mãe e a Luisa ( uma vizinha muito amiga ) a preparar receitas que nos juntavam em torno de uma mesa durante óptimas refeições. Depois comecei a passar receitas - um caderno de argolas em que escrevia o que me ditavam ou o que ia vendo. Depois as revistas que pedia emprestadas e das quais transcrevia os bolos mais bonitos. Lembro-me que ao principio chocolate ou leite condensado eram motivo suficiente para constar nas linhas do meu caderno. 

Aos poucos fui-me pondo de joelhos no banco da cozinha e pedia para mexer os bolos. Foi a muito paciente madrinha da minha mãe que me ensinou as manhas todas. E foi ela que me mentiu quando me disse que as Claras ficavam MUITO pesadas e magoavam os braços e por isso era trabalho de crescidos. Senti-me traída no dia em que descobri que o problema dela era se eu estragava o bolo. 

Há um dia que nunca esquecerei. O Benfica foi jogar a Leiria e o meu primo de Paris foi ao estádio com o meu pai. Queria recebê-los no regresso com um bolo e pedi por tudo que me deixassem fazer. Eu, a minha mãe a madrinha sozinhas em casa. Lá fora uma tempestade diabólica e a luz... foi ao ar. Em cima da mesa branca farinha, ovos e açucar. Elas aflitas com medo da viagem que eles fariam com a tempestade, eu com os dedos enfiados na massa sempre a provar. Foi o dia em que aprendi que um bolo também se cozinha ao lume e que nem sempre é preciso ir ao forno. 

 

Nunca parei de escrever receitas. Parei foi de precisar de me por de joelhos em cima dos bancos para bater os bolos. Foi por ter o meu avô muito doente e com um maldito cancro que aprendi a fazer bolo sem pitada de gordura e com muito pouco açucar. Mas com muita laranja, como ele me pedia. Ainda o consigo ver sorrir quando o cheiro da massa quentinha lhe chegava ao quarto. Foi pouco depois de ter um motivo bonito para fazer bolos que parei de os fazer. 

 

Claro que voltei a cozinhar doces. Scones : para quando a minha mãe chegava com as amigas do teatro. Bolos de Chocolate infaliveis para os jantares de amigos e um bolo de frutos secos a meias com a minha Tia Vanda mais sagrado que o Bolo Rei na mesa de Natal. 

 

Ando há dias a pensar em Granola caseira e ontem num raro zapping vi alguém a preprarar uma receita simples na televisão. Agarrei no meu blocos de notas e tirei umas ideias. 

Hoje depois de uma reunião na Expo passei perto de um supermercado e vi-me de joelhos em cima de uma banco com a colher de pau na mão.

 

A receita foi meio inventada, sem medir ingredientes. Fi-la com o coração. E com a cabeça nas pessoas para quem cozinhei com mais Amor. 

E sim Titi... leva passas e tudo! 

 

Homemade Granola RECEITA : 

 

- Mel

- Canela

- Flocos de Aveia

- Arroz Tufado

- Mistura de Frutos Secos / Cristalizados ( Coco, Amêndoas, Avelãs, Manga, Banana Frita, Arandos Vermelhos, Passas ).

- Sementes de Girassol, Sementes de Abóbora

- Pitada de Sal

 

Aquecer o Mel com a Canela num tacho. 

Misturar todos os ingredientes secos, envolver com o mel quente e finalizar com uma pitada de sal. Levar ao forno num tabuleiro a 140º durante 20 minutos ( ir mexendo para dourar as várias partes da Granola ).

 

A mistura antes do mel : 

 

Tudo misturado e pronto para ir ao forno : 

 

 

 

 

 Depois de cozinhado : 

 

 

 

 

 

 

Bom apetite :) 

6 comentários

Comentar post