Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A Melhor Amiga da Barbie

11
Ago16

Cadernos de Viagem By American Tourister. Viagem a Oriente - 6

Ana Gomes

image.jpeg

 

Apresento-vos a melhor rua para ficarem hospedados em Banguecoque : Rambuttri

Especialmente se forem jovens, procurarem apenas o essencial e preços económicos. Fica literalmente do outro lado da estrada de Khao San Road e tem uma vibe muito menos "estou de férias pela primeira vez sem os meus pais e quero beber até cair". A rua é bonita, movimentada e com restaurantes bons. Há massagens em todas as esquinas e dois Seven Eleven : está óptimo! 

 

image.jpeg

 

 

 

image.jpeg

 

image.jpeg

 

image.jpeg

 

image.jpeg

 

image.jpeg

 

image.jpeg

 

Os dias que estive em Banguecoque foram óptimos! 

Caso ainda não tenham visitado a cidade pensem num mundo de consumo extremo. Há sempre qualquer coisa para comprar, em qualquer recanto, a todas as horas. Há night markets ( que visitámos ), há mercados durante todo o dia, há Chinatown, há centros comerciais GIGANTES e há aquela que é considerada uma das maiores (senão a maior) feira do mundo : o weekend market Chatuchak.

 

O que se vende nestes sítios? Bom... basicamente SEMPRE a mesma coisa, na devida escala : quanto maior for o "mercado" mais diversidade, oferta e diferença de preços vão encontrar. Gostava de vos dizer : "Comprem em chinatown que é mais barato"... ou "nos centros comerciais é que é" mas esta lógica não existe. Das duas uma: ou está escrito "fixed price" ou então o preço mais barato vai ser determinado pela vossa capacidade de negociar. Não se preocupem: o ideal é nunca pagar mais do que o preço justo. É super provável que eles rejeitem a oferta ou que, depois de terem realizado o negócio, compreendam que o poderiam ter feito por um valor mais baixo. Então a máxima é mesmo esta : pagar um preço que consideramos justo. Afinal de contas quem vende também tem de ganhar dinheiro, certo? 

 

E podem encontrar TUDO. Então no weekend market atrevo-me a dizer que é literalmente tudo : desde objectos de decoração incríveis, passando por roupa, comida, imitações, peças rejeitadas de fábricas, roupas de jovens designers, peças vintage, animais exóticos, animais de estimação... TUDO! O que é mais complicado encontrar é sem dúvida uma banca pela qual tenham passado. Vi umas t-shirts lindas, fui beber um chá frio na "rua" ao lado e quando voltei... já não consegui encontrar a banquinha. Para terem uma ideia há imensos mapas espalhados pelo mercado, pontos de encontro e banquinhas de comida em todas as secções para evitar que as pessoas tenham de sair para comer. Passámos praticamente 7 horas lá dentro e acho que vale mesmo a pena a visita. 

image.jpeg

image.jpegimage.jpegimage.jpeg

Ainda no "mundo" dos mercados decidimos fazer aquela incursão óbvia por um Floating Market. Não tínhamos nada programado para esse dia e decidimos apanhar um táxi para lá ( a viagem são cerca de duas horas ). Desilusão total! Toda a gente me tinha dito que seria imperdível mas se voltasse atrás não iria. Primeiro é caríssimo : conseguimos pagar 1500 bahts para duas pessoas mas super negociado, isto são quase 40 euros o que é um absurdo para os preços praticados por aqui. Depois sentimos claramente que tínhamos sido enganados pelo táxista. Dissemos que queríamos almoçar antes de entrar, fomos a uma espécie de restaurante perto da entrada do mercado e quando estávamos a pedir o taxista entrou, falou com a senhora do restaurante e explicaram-nos que não nos podiam servir porque a cozinha tinha acabado de fechar... rematando com "o melhor é comerem no mercado". 

E foi a única opção que tivemos... mesmo quando já estávamos a ponderar nem entrar. Talvez por ser domingo  a nossa viagem de barco mais parecia uma passeio por uma atracção abandonada da eurodisney. Em mau. 

Foi a primeira desilusão por estes lados e deixou-me de pé atrás com todas as atracções turísticas.

image.jpegimage.jpegimage.jpegimage.jpeg

 

 

Querem saber o que achei MESMO lindo? O Wat Pho ou Templo do Buda Deitado. Mesmo que não se identifiquem com a filosofia budista vale a visita. O bilhete custa apenas 100 bahts e para além de uma "pequena aldeia" budista podem ver artesãos a trabalhar em estátuas de Buda e uma figura impressionante em tamanho e beleza ( para terem uma ideia é maior que o Cristo Redentor no Brasil ) : um Buda Deitado! image.jpeg

  Para todos os passeios em Banguecoque é preciso muita paciência. O trânsito é caótico, as filas são demoradas e tudo parece longe! Mas acreditem : vale muito a pena. 

 

Como vos tinha contado tinha imensa vontade de conhecer as praias e ilhas paradisiacas da Tailândia. E é uma viagem que quero fazer com mais tempo e com novo orçamento! Como ainda tínhamos algum tempo por aqui ( tivemos de antecipar o regresso à Tailândia porque o visto da Indonésia terminou ) decidimos apanhar o avião para Krabi. Voltamos a Banguecoque no dia 14 ( e apanhamos o voo para Lisboa dia 15 ) assim deixámos toda a bagagem numa sala do hotel ( aqui todos têm essa opção ). Pagamos 20 bahts por dia mas pelo menos viemos esta semana apenas com um saquinho e com a mochila da American Tourister que por ter rodinhas torna o transporte super prático. 

Não temos tido sorte nenhuma com o tempo: é a pior época de chuvas na Tailândia. Mesmo assim tentámos não desistir: no primeiro dia fizemos uma grande caminhada a pé, no segundo dia apanhámos sol na praia e na piscina do hotel ( estamos em ao Nang ) e ontem arriscámos uma tour de barco por quatro ilhas com direito a snorkling e algumas horas em Railay Beach - considerada uma das mais bonitas do mundo. O tour passou por : Koh Poda, Koh Gai (Chicken Island), Koh Tub e Koh Mor; parando então em Railay para uma visita a Phra Nang Cave Beach : um local de culto e devoção muito ligado à sexualidade e fertilidade. 

 

Tudo ok nas duas primeiras paragens... tudo corria bem até começar a cair uma tempestade tão grande que não se via NADA no mar. Na realidade tudo correu bem. Foi um susto fácil de gerir, chegámos a casa tranquilos e encharcados e desde então ainda não parou de chover. Hoje queríamos ter ido até às ilhas Phi Phi mas decidimos não arriscar (e ainda bem). 

Um detalhe engraçado? Numa das ilhas em que parámos estavam a filmar um filme Indiano! Claro que fiquei fascinada com a coincidência! Lembrei-me logo da Diana e da nossa ida ao cinema em Mumbai.  

 

Factos : acho que é preciso uma intervenção urgente no que diz respeito à consciência ambiental. Há muita poluição e muito descuido no que diz respeito ao lixo. 

 

image.jpeg

 

image.jpeg

 

image.jpeg

 

 

 

image.jpeg

 

image.jpeg

 

image.jpeg

 

image.jpeg

 

image.jpeg

 

image.jpeg

 

image.jpeg

 

*Estes cadernos de viagem são escritos com o apoio da American Tourister.

 

Podem saber mais sobre a marca nas seguintes plataformas : 

Facebook;

Instagram;

Loja Online;

Ou nos hashtags : #AmericanTourister #MyAtStyle 

 

 

 

 

 

 

 

 

4 comentários

Comentar post

PUB

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Playlist Spotify

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2010
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D