Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A Melhor Amiga da Barbie

O Natal já chegou… aqui ao lado.

11.11.13 | Ana Gomes

 

 

 

Por esta altura, no ano que passou, passei do "Vamos ter um Natal, a minha casa renovada vai ficar linda e cheia de espírito natalício!!" para o " Acabou o Natal ou os motivos para celebrações."

 

A verdade é que foi um ano peculiar. Uma travagem a fundo levou a um despiste brutal - metaforicamente claro - e a minha vida embrulhou-se de tal forma que senti que era uma injustiça tamanha estar a passar por aquele abandono. 

 

Claro que a esta distância consigo compreender, aceitar e até agradecer que aquilo tenha acontecido. Acontece que não conheço pessoa no mundo que quando acha ou acredita que encontrou a cara metade e que está pronto para planear a vida a sério, e do nada, as coisas se apagam reaja bem. Eu não estou a dizer que estas pessoas não existem. Só estou a dizer que não conheço nenhuma. 

 

E foi por isso que o Natal aqui em casa deixou de ter razão de ser. E não foi. Depois de ter andado a namorar uma árvore branca e a suspirar nos corredores do Ikea. 

Tive um Natal muito feliz com a minha família, mas aquele projecto a dois deixou de fazer sentido. 

 

Há uns meses recebi no prédio vizinhos novos, são um casal - da minha idade - e moram mesmo na porta ao lado. Tirando uma ou duas noites em que deram jantares com grupos nunca os ouvi, são muito simpáticos - vieram-se apresentar e entregaram um pratinho de bolos quando vieram para aqui morar!  

 

Quando cheguei a casa no outro dia não pude deixar de reparar que tinham a porta decorada. Não faço ideia de quantos natais já passaram juntos, mas este é o primeiro nesta morada. E este ano já fizeram deste prédio um lugar de Amor e Celebração. 

Achei enternecedor. E confesso que tive de me aguentar para não me emocionar um bocadinho e pedir para ir ver a àrvore de natal. 

 

Não é por eu ter deixado de acreditar que não ache amoroso ver os outros a celebrar. E é por isso que adoro ver Lisboa já cheia de luzes, que se desfocam entre o fumo das castanhas. 

10 comentários

Comentar post