Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A Melhor Amiga da Barbie

Diário Dela #13

30.07.13 | Ana Gomes




"

Secção de bolachas do hipermercado.

 

A tentativa de equilibrar um saco de folhas de alface pré-lavado, três sacos transparentes com :

 

laranjas, maçãs e bananas. Pão escuro fatiado. Cenouras baby congeladas. Uma das minhas mãos anestesiada com o frio. A circulação interrompida pelo peso dos sacos. 

 

Procuro umas bolachas. Não umas em especifico. O género que procuro encontra-se na categoria : que me façam sentir culpada dentada atrás de dentada.

Decido-me por umas cookies, com pepitas de chocolate. Branco, vai ser chocolate branco. 

 

O meu telefone a tocar : notificações de facebook. É a porcaria dos grupos. As notificações dos grupos. Nada que me interesse particularmente. Nem sequer consigo agarrar o telemovel. Enfio a mão na carteira, mas aleijo-me nas cháves, percebo que abri sem querer a agenda e que os papeis soltos se espalharam, lembro-me do talão de troca do vestido que comprei. Espero que não se rasgue. Esqueço o telefone. Concentro-me nas bolachas. 

 

 

Na minha direcção correm duas pessoas pequeninas, iguais, de sorrisos rasgados, desdentados e com caracois desalinhados. Gritam. Riem. Estão claramente felizes. Tropeçam neles próprios, agarram os sacos coloridos de doces. Pegam em bollycaos. Acho que ainda se chamam assim. Ouço-os rir mais alto. 

Alguém os está a chamar. Uma mulher empurra um carrinho e barafusta impaciente, que precisa que se comportem, que precisa de ajuda. Acho que a compreendo. Eles encontram nas minhas pernas o refugio perfeito, e eu tento não me rir com a mãe. 

 

Reparo melhor nos miúdos. As mãos pequeninas sujas das canetas da escola.

 

E depois reparo em ti, que vens num passo apressado, a empurrar outro carrinho, de camisa de fato. Como se a fosses despir e revelasses o teu fato de Super Homem. Telemóvel numa mão, a aliança de casado na outra. 

 

Foi assim que conheci a tua família. 

 

Foi assim que desisti das cookies. Que deixei cair a porcaria das cenouras. Que contei com a ajuda preciosa dos teus filhos para as levantar do chão- a quem agradeci. E a quem me apeteceu pedir que me deixassem ficar ali no chão. Onde de alguma maneira fiquei.

Foi assim que tive de sorrir para a tua mulher por os ter incentivado a "ajudar a senhora."

 

Não foi uma surpresa. Foi só um choque.

 

 

Não foi nada de especial. Foi só uma ida ao supermercado em que levei mais do que queria comprar. 

 

Este foi o dia em que conheci a tua família." 



 

 Diário Dela. 

 

 

 

 

4 comentários

Comentar post