Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A Melhor Amiga da Barbie

Relógio Biológico

26.06.12 | Ana Gomes
O Relógio Biológico.

Gostava de já ter sido mãe. Não que tenha neste momento essa vontade ( já lá chegaremos ).
Com 18 anos gostava de ter tido uma filho. E não... não foi porque achei que tivesse encontrado o homem da minha vida, ou sequer o pai dos meus filhos. Também não tinha o golpe do baú para dar... Era pura e simplesmente um reflexo de vivência familiar. A minha mãe - que teve o meu irmão pouco depois de entrar nos 19 - tinha uma relação bestial com ele. A diferença de idades, as gerações sem grandes disparidades.
Aquela ideia agradava-me ao ponto de a querer para mim. Queria copiar o modelo de relação pais/filhos que tínhamos lá em casa.

Mas não fiz por isso. Não aconteceu. O meu pai deve neste momento estar a respirar de alivio, porque eventualmente nunca soube deste meu desejo, e se hoje em dia sofre do "pânico do vôvô" ... há uns anos atrás seria não só complicado como... escandaloso.

Hoje em dia quando a conversa vai parar aos filhos, costumo começar a enrolar a comida na boca, os dedos no cabelo e ocupo-me a responder a e-mails pelo telemóvel. Não que exista pressão familiar, mas existem e sempre existirão, as conversas de amigos.

Quando o despertador toca de manhã, carregamos no snooze, minutos depois ele volta a tocar e lá vamos nós. Mas há aquelas manhãs sonolentas em que involuntariamente o desligamos pensando que irá - como sempre- voltar a tocar. Quando damos por nós o tempo já passou. Estamos atrasados ou acordámos naturalmente.

A verdade é que não carreguei no snooze. Tenho a sensação que desliguei mesmo o relógio.
E se há momentos em que tenho dúvidas... Em que penso que já estava na hora de ter uma criança e ser uma mãe solteira mas feliz... O Teatro onde trabalho acolhe o espectáculo de final de ano de uma escola, protagonizado por uma vasta dezena de adolescentes que não só gritam e asneiram a torto e a direito nos corredores com ainda soltam hormonas brilhantes enquanto se beijam fogosamente contra a porta do meu escritório.

Definitivamente o plano está adiado para aquela altura intergaláctica em que aos dez aninhos todos são independentes e vivem na sua própria casa.


20 comentários

Comentar post

Pág. 1/2