Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A Melhor Amiga da Barbie

10
Jul17

Vai ficar tudo bem.

Ana Gomes

DSCF0273.JPG

 

Quando descobri que estava grávida tive um dos maiores momentos de introspecção e de dúvidas da minha vida.

Tentei explicar, com delicadeza, que cuidando com carinho e com amor da nova vida que crescia em mim, vivia simultaneamente um momento de muita incerteza. Eu... que sempre sonhava ter sido mãe não estava a conseguir lidar com a concretização desse sonho do qual já tinha desistido. 

 

Depois vieram os enjoos, veio um corpo em constante mudança, veio o repouso absoluto. Cada dia que passava tudo se tornava um bocadinho mais real. Mas nunca tão real assim... 

 

No dia em que a Vitória nasceu a sala de partos esteve algum tempo em silêncio. Não sei precisar a fracção de tempo : milésimos de segundos talvez... uma eternidade para mim. O meu novo coração de mãe gelou. 

Mas antes disso senti que seria a Vitória que me ia perder. Não tive medo de nada. Absolutamente nada. Pensei na minha mãe e agonizei o sentimento de uma mãe perder uma filha. Depois pedi ao pai da Vitória que me prometesse que seria bom e paciente com ela. 

Correu tudo bem e rapidamente se confirmou o que toda a gente diz : ser mãe é inato. Na verdade, ser mãe é um momento de aprendizagem constante, enquanto a bebé aprende a viver nós aprendemos a lidar com a nova vida. 

 

Falar da maternidade exige a minha maior sinceridade: não é fácil. É verdade que o nosso Eu se transforma, como se o Ser que vivia até então dentro de nós passasse a ter-nos dentro dele. E precisasse indiscriminadamente do nosso calor, do nosso carinho, da nossa atenção, do nosso alimento e da nossa segurança. Este sentimento é avassalador. Se por um lado a nossa vida tem um sentido e um propósito por outro lado exige que saibamos ser altruístas. Ou por outra, que lidemos bem com isso 24 horas por dia. E posso assegurar que nem sempre é fácil, nem sempre é bonito, nem sempre é simples ou descomplicado. Todos os dias sinto que a minha vida está em suspenso até poder voltar a ser vivida. Acredito que volte a ser uma aprendizagem. Nada será como antes : nunca mais. 

 

Pela primeira vez senti medo de morrer. Porque pela primeira vez senti que a minha existência poderia ser fulcral para o bem estar de outro ser. Quis-lhe explicar uma coisa que ainda não pode entender: vai ficar tudo bem. 

 

Todos os dias preciso de me deitar com a certeza de que a fiz sentir-se amada. Não só quando me devolve o sorriso mais doce do mundo mas também quando chora desesperadamente e não a sei consolar. Peço-lhe desculpa. Muitas vezes por dia. Especialmente nesses momentos em que quase perco o chão por não a saber tranquilizar. 

 

Meu Amor, tudo o que preciso que saibas é que não te poderia ter sonhado mais perfeita. 

10 comentários

Comentar post

PUB

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Playlist Spotify

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D